The Brazilian Fat


Férias e o pior dia da minha vida by Valmo
27/07/2011, 22:53:25
Filed under: Adventures, Texto

Para quem não sabe, eu, como qualquer frequentador de uma organização educacional estou em recesso escolar, e elas pelo visto estão quase acabando, já que essa porra de cidade interiorana faz o tempo passar rápido demais.
Eu fui obrigado a ir para Alegrete depois de ter ficado 5 dias no computador jogando minecraft o dia e a noite inteira, e depois que vim aqui, advinha o que eu fui fazer? jogar minecraft e ficar no twitter e dando voltas com meus primos. E foi essa a minha rotina… até 4 dias atrás, quando minha mãe resolveu trabalhar nas férias.
Só para esclarecer, minha mãe tem um trabalho um tanto peculiar, ela é dona de uma loja de produtos odontológico e muita gente após ouvir isso acaba dizendo algo do tipo: “Sua mãe é a chefe, ela pode trabalhar quando quiser”. Ok, agora me responda, o dinheiro vai virar da onde? da privada? E ela resolveu fazer venda em domicílio, coisa que eu nunca iria esperar da minha mãe, mas tudo bem.
E assim, foi em cidades pacatas interioranas que eu não conseguia acreditar no número de dentistas por habitantes quando descobri.
Mas hoje acho que foi

o PIOR dia da minha humilde vida.

Eu estava na pacata cidade de Santiago, cidade no qual você consegue explorar em um dia de tão minúscula, havia chegado na madrugada anterior e eu tinha ficado num Hotel em frente a rodoviária, sim, era uma pensão mesmo, o hotel mais luxuoso que você encontrará naquela cidade. mas tudo que lembro já que estava dormindo era que eu me levantei, fui até o quarto, caí na cama e voltei a dormir.
De manhã eu me acordo com uma camareira me cutucando. Eu olho no relógio digital que tinha ao lado da televisão e vejo 11 horas, e cadê meu pai para pagar a porcaria do hotel? sei lá, o que eu sei é que tinha uma torrada e um capputino ao lado da cama. Eu tirei meu celular que havia deixado carregando durante a noite e perguntei a camareira porque diabos ela havia me acordado e tive uma resposta um tanto, totalmente, filha da puta:

“Garoto, ao meio dia se você não tiver esvaziado o quarto teu pai vai ter que pagar uma estadia extra.”

Até aí tudo bem. Mas, ONDE QUE DIABOS ESTÁ MEU PAI? eu estava sozinho em um hotel inteiro, sim, a cidade era tão minúscula que o hotel tinha apenas dois quartos vagos. Um por mim, outro pelos meus pais que simplesmente sumiram, eu tomei o café e desci em minha jornada em busca dos meus pais. Celular? nada. Fui perguntar ao velinho simpático que era dono do hotel onde estavam e ele deu a maldita resposta que eu não. queria. ouvir.

“Seus pais saíram a sete e meia e disseram que iriam voltar… a uma hora atrás”

Ótimo.

O velinho corrigiu o que a camareira havia dito e disse que eu poderia ficar numa boa, mas eu duvidei que esse humor fosse durar muito tempo. Por garantia peguei as malas e deixei na recepção enquanto esperava ali num sofá em frente a uma tv que estava passando tv globinho. Bem, pior não podia ficar. ERRADO. daí quando expirou o prazo o velinho logo disse que se eu quisesse ele chamava a puliça, ok, isso já é exagero. Daí após eu ter entrado no nirvana de tanto vegetar chega meu pai com a maior cara de pau e diz “BOM DIA FILHO!”

“VAI. SE. FUDER”

nessa hora meu pai parou de sorrir e quase me deu um pau no meio da rua por causa da má educação> minha pele foi salva porque eu apontei para o velinho que já estava vermelho de raiva porque eu havia sido esquecido aqui. Mas após meu pai explicar a situação, que nem eu entendi. Fomos almoçar. Churrascaria, dizem que se você quiser uma churrasco bom, vá para uma churrascaria interiorana  Os desgraçados conseguiram fazer com que um glorioso Bacon, o alimento que dá sentido a nossas vidas, o que provou a inexistência de uma divindade… TOR-RA-DO. era a primeira vez na minha vida que eu não queria Bacon, eu geralmente entro na churrascaria que tem próxima a minha casa e o dono já vai correndo ao super-mercado comprar uma dose extra de filé de porco. E eu não vou nem comentar a ótima comida que complementava o churrasco.

De tarde minha mãe estaciona o carro no meio do centro, joga dois travesseiros e  me avisa que eu terei de ficar ou no carro, ou dar uma volta pela cidadezinha. Eu peguei os travesseiros joguei pro lado e ela foi embora junto com o meu pai. Eu olhei para o travesseiro e me joguei neles…

a porcaria do alarme se ativa

Depois dessa só me restou ignorar o fato de que tinha uma multidão de gente olhando para mim e tinha um barulho do caralho no meu ouvido. depois de um tempo eu peguei a chave extra que minha mãe tinha me dado e consegui desativar o alarme, e daí tive que estudar alguma forma de trancar as portas sem ativar o alarme. Ok, aperta isso, aquilo, deu, fui dormir…

uma hora e meia depois eu me acordo com uma vontade filha duma puta de mijar, saí do carro, ativei o alarme e fui quase que correndo em direção ao shoppingzinho que ficava a duas quadras de distancia do local de onde o carro havia sido estacionado. A essa hora eu já analisava a tentativa de acertar o jato de urina de onde eu estava… A PORRA DO SHOPPING. NÃO TEM BANHEIRO.

E essa hora eu já estava correndo em direção a praça da cidade. Cadê o banheiro? cadê, porra? eu não to de brincadeira, o banheiro é subterrâneo, eu demorei um tempo desgraçado para achar o maldito banheiro depois dessa, fui até uma cabine mijar. Antes que você me chame de veado por não  usar o mictório vou logo avisando, um estava ocupado por um mendigo e o outro havia sido arrancado e estava jorrando água daquela mangueira. então por favor, cale  a boca, dei aquela gloriosa mijada, dei a descarga e quando me virei dei de cara com 0 anúncio de uma prostituta que pela foto até que era “convidativo”. Ao lado havia um número de telefone e escrito:

“Veja meus lindus peitões, aceito tudo”

Ok, nessa porra de dia de ve direito até a putaria. Voltei para o carro e fiquei escutando as rádios locais, uma era sertaneja, outra nativista, outra tava tocando Justin Bieber, daí chegou numa que tava tocando We’re no gonna take it – Twisted Sisters. que eu até curto, daí quando termino de toca começo a tocar Luan Santana… radio turned off.

Chega lá pelas 6 hrs eu estava dormindo, minha mãe me acorda e avisa que a gente vai para alegrete de noite, o que foi uma surpresa porque ela disse que só iria na sexta feira, e hoje é quarta. Daí tudo bem, logo que saímos da cidade damos de cara com uma estrada que tinha buracos do tamanho de um sofá, sem putaria, desse tamanho mesmo. Daí um tempo depois nós passamos por um pequeno incêndio, e outro, e outro. Daí quando subimos numa serra e conseguimos ter uma boa visão da estrada. Algum “espertinho” havia decidido queimar as arvores e o cerrado que tinha entre a estrada e a área rural, mas diríamos que o fogo foi um pouco além disso, claro que a grama bem hidratada conseguiu proteger as plantações, mas a estrada… não sei como o fogo conseguiu passar para o outro lado da estrada naquele ponto, acho que era outro incêndio. que eu sei é que chegou um ponto em que o fogo era tão forte que se eu olhasse prum lado dava de cara com um fogaréu, e se olhasse para outro eu dava de cara com a mesma coisa. A sensação que eu tive era que eu estava dentro do túnel que leva as profundezas do tártaro. Após minha mãe ter passado por aquilo em humildes 140 km/h. Começa a chover, o que foi obviamente um alívio, por enquanto.

o problema de uma tempestade é que no início dela você apenas ve uma chuvinha fraca acompanhada de trilhões de raios. daí nós vimos um raio caindo perto da estrada, e pelo barulho que fez, caiu bem perto. Após uns minutos deu pra ver que uma floresta de Eucaliptos e o comentário que minha mãe fez não ajudou muito:

“Uma vez, seu irmão e sua avó estavam viajando por aqui numa tempestade também, Seu irmão resolveu parar em baixo de uma árvore para se proteger, mas o vento era tão forte que aquela árvore tombou, teu irmão se salvou por pouco”

daí minha mãe ficou com uma cara triste e eu previ o que ela iria dizer

“Filho, tua avó morreu aqui”

E pior que a gente sempre passava por ali quando ia para Alegrete e ela nunca havia dito isso. Mas eu obviamente não fiquei muito feliz de estar ali. que faltava agora? uma ogiva nuclear Chinesa Cair ali e começar a 3ª Guerra Mundial? o que eu sei é que minha mãe ficou quieta a viagem inteira, e isso não é uma coisa que ela costuma fazer.

E daí cheguei aqui, abri o note e comecei a escrever esse post.

Anúncios
Comentários desativados em Férias e o pior dia da minha vida





Comentários encerrados.



%d blogueiros gostam disto: